Giovanna Ghersel

Giovanna Ghersel tem 23 anos, é estudante de direito e comunicação. Viciada em séries, viagens e desventuras amorosas. Considera ler e escrever terapêutico além de claro: desabafos em mesas de bar, cantar evidências no karaokê ou fazer uma maratona de netflix e pipoca. Atualmente está tentando escrever um livro e descobrir o que fazer da vida. Enquanto isso vai recolhendo experiências e usando-as de inspiração para os textos, afinal não existe nada mais extraordinário do que a vida.

Distante próxima

São sete da manhã.

O frio do inverno chegou e nos enlaça cuidadosamente. Ele faz parte de nós, nos envolvendo constantemente em sua atmosfera gélida.

Me levanto da cama em busca de uma xícara de café. Algo para me esquentar, para trazer o calor que você tanto nega, a ardência que tanto busco em seus braços, mas que me é repelida com tanta veemência. O vapor do café atinge meu rosto. Finalmente me permite uma sensação de aconchego que falsamente acalma meu apertado coração.

Read Article

Entre o medo e a vontade existe um mundo

Aquela tensão quase elétrica. Mãos distanciadas apenas por alguns centímetros, que parecem ter o tamanho de um abismo.

Pra que essa timidez toda?

Você está sempre ai com essa cara de que está perdido, me procurando no meio de todas as pessoas que estão a sua volta. Entre tantas pessoas iguais, você fica buscando alguém diferente. E eu?Tento aparecer no meio da multidão esperando você me notar.

Os rostos passam por mim e quando não é o seu o dia perde um pouco da graça, as cores ficam menos saturadas e o coração desacelera..

Read Article

Estranha conhecida

Arte por Lucy Salgado
Arte por Lucy Salgado

Querida ex-amiga,

Como é estranho te ver assim do outro lado da rua e não falar mais com você. Saber que em um momento soubemos dos segredos mais íntimos, dos medos mais profundos e das paixões mais intensas de cada uma. Hoje não tenho ideia do que acontece em sua vida.

Ainda lembro do dia em que nos conhecemos no pátio do colégio, você me contando, uma mera conhecida na época, os detalhes do encontro que você havia acabado de ter com o cara que você era a fim. Engraçado como a vida amorosa das pessoas gera tanta identificação. Nos sentimos como se a vida do outro acabasse virando a nossa e nos encontramos assim em nossas desventuras. Me senti sua amiga naquela exata hora em que você me confidenciava suas dúvidas, incertezas e animações sobre esse rapaz.

Read Article

A breve história da fossa

Vou receber a notícia como um baque, uma dor no coração. Vou me sentir idiota, achando que idealizei demais, que fui trouxa de novo. Vou recusar a me sentir mal por você não me querer mais, afinal não tenho direito de gostar de alguém com quem fiquei tão pouco tempo…que burra. Vou tentar negar o sentimento de todo o jeito.

Vou perceber que não consigo parar de pensar em você. Vou a uma festa e beber pra te esquecer. Vou te encontrar na festa e ficar pior ainda. Vou beber demais e acabar ficando triste. Vou beijar alguma outra pessoa pra tentar te substituir. Vou ficar chateada porque eu queria estar beijando você e não ele e vou voltar pra casa.Vou te ligar de madrugada te pedindo pra me ver e você vai recusar. Vou dormir sozinha me sentindo de novo a pessoa mais trouxa do mundo.

Vou acordar arrependida de tudo que fiz, mistura de ressaca física e moral. Vou me trancar em casa durante uma semana, só assistir netflix e comer chocolate durante esse tempo. Vou parar de te seguir nas redes sociais porque não consigo ver sua foto e não sentir meu coração se contorcendo por dentro. Vou decidir que preciso me afastar do mundo e concentrar em mim mesma.

Vou focar no que eu gosto e no meu trabalho. Vou me dedicar às minhas obrigações pra não pensar em você. Vou malhar feito doida pra me sentir bem comigo mesma. Vou começar a fazer novas amizades.

Vou prometer a mim mesma que não vou beijar mais ninguém até te superar. Vou voltar a ir em festas. Vou poder voltar a beber sem dar problema, sem ficar mal. Vou dançar até o sol raiar, me divertindo como nunca e vou começar a conseguir passar noites sem pensar em você.

Vou começar a ser bem sucedida. Vou perceber que esse tempo que tirei pra mim mesma está dando retorno, vou alcançar meus objetivos.Vou ir atrás das minhas paixões. Vou me sentir mais feliz, mais amada. Vou ser mais presente no momento, vou parar de pensar no que eu fiz de errado, vou focar nas novas pessoas que conheço.

Vou te encontrar em outra festa. Vou ver você beijando outra garota. Vou pensar que nessa hora meu coração vai parar e vai doer muito. Vou realizar que na verdade não doeu nada. Vou me tocar que agora consigo te ver e não ficar mal, consigo estar sem você e me sentir bem mesmo assim. Vou atrás das minhas amigas e vou me divertir até não poder mais. Vou perceber que não preciso de você pra ser feliz porque eu estava sendo esse tempo todo de qualquer forma.

Vou te ver na festa andando por ai. Vou te cumprimentar quando você vier falar comigo. Vou conversar com você, vou ser simpática. Vou te desejar tudo de melhor, porque eu desejo mesmo. Vou te dizer que adorei o tempo que fiquei contigo, porque eu adorei mesmo. Vou te abraçar e te dar tchau e você vai tentar me beijar. Vou me afastar de você porque não te olho mais daquele jeito. Vou perceber que eu parei de gostar de você.

Vou embora da festa. Vou dirigir até a minha casa, escutando música alta e cantando sem parar. Vou estar feliz. Vou estar superada.

Vou chegar em casa. Vou abrir meu computador às 3h30 da manhã e vou escrever esse texto sobre você.

De dentro pra fora

Foto por Jordan Hammond

Quando você está dentro você fica entediado, tudo costuma a ser igual e rotineiro. Estando fora tudo é tudo uma grande aventura, tudo é diferente.

Dentro é fácil se ver sem sentido, sem saber o que fazer da vida. Fora nem se pensa sobre o futuro, o que importa é o presente, um mês já parece muito distante.

Estando dentro você fica louco para estar fora, vê fotos de pessoas viajando e se imagina distante de onde está. Fora você se sente completo, submerso na sua liberdade e apreciando cada segundo que se ganha com esse presente da sua ausência do mundo real.

Dentro está a sua carreira, família, amigos de longa data. Fora estão todas as pessoas diferentes de outras culturas que você nem pensava em conhecer.

Dentro você acha que nada nunca muda, mas quando você volta vê que está tudo diferente: grupo de amigos que não andam mais juntos, pessoas que você esperava encontrar e não se importam com você mais, amigos que já estão andando com a carreira e você meio perdidão. Fora tudo acontece rápido demais, você muda anos em alguns meses, compreende mais sobre a vida e volta questionando tudo, volta inclusive sem saber o que tá rolando.

Dentro você tem o conforto da sua casa, o abraço da sua mãe, os conselhos do seu pai e brincadeiras do irmão. Fora as vezes você consegue se sentir mais sozinha do que nunca e isso ser maravilhoso e assustador ao mesmo tempo.

Dentro é fácil de perceber o choque da realidade, você vê que a sua volta não é nada com o que você pensou que seria e que as pessoas mudaram pra caramba separadamente de você. Fora não se percebe o quanto que a vida prossegue com a sua ausência, pois de repente a realidade rotineira é apenas um submundo do qual você escolheu fugir.

Dentro você tem que aprender o que é liberdade numa vida com regras. Fora você precisa aprender o que são as regras numa vida cheia de liberdade.

Dentro você precisa desapegar das coisas que você nunca vai ter. Fora você precisa desapegar das coisas que você tinha.

Dentro você necessita se encontrar. Fora é o mundo que encontra você.