“Instruções para lavar a alma”

Kyle Thompson Photography
Kyle Thompson Photography

Estes são três poemas exclusivos do novo livro da Clara Baccarin, colunista maravilhosa do De Repente dá Certo.

Flor e Ser

Desculpa eu não poder te oferecer muito
Mas é que este ano eu já floresci.
E não me resta mais nem uma pétala,
Uma cor, um cheiro, um encanto.
É madrugada de inverno e eu não tenho calor para dois.

Mas olha, se quiser ficar,
Pode segurar uma de minhas folhas verdes
Com a ponta dos dedos
E ir brincando com a esperança.

Quem sabe
Você ainda esteja por perto
Quando eu vier a florescer novamente.

Só peço:
Não desperdice adubo no vento.

Ilha

Um lado meu sempre é seu,
Mas o outro não é nunca.
Parte de mim sempre fica,
Outra parte está sempre de partida.
Seu peito para mim é terra à vista,
Mas meu coração é oceânico.
Mesmo longe estou perto,
Mesmo perto estou longe.
Entre os polos do meu coração
Passa um Atlântico.
Serei eternamente sua,
Mas só enquanto eu for ilha.

Sapos

Meu coração aprendeu a fazer magia
Sabe transformar ratinhos em elefantes
Príncipes em sapos
Histórias chatas em contos de fadas
Também já transformou um pavão numa pluma
Que voou com o tempo
Num toque de mágica desfaz feitiços
Quando os olhares de meia noite
Convertem sentimentos em abóboras
Meu coração é um ilusionista
Aprendeu truques para enganar a vista
Pensa que é um palco, coitado
Dança, cai, levanta, prega peças
Vira palhaço
Tira sarro das próprias tragédias
Meu coração é uma comédia

Clara Baccarin

Clara Baccarin é poeta, escritora e tradutora. Autora do romance Castelos Tropicais (Ed. Chiado, 2015), e do livro de poemas Instruções para Lavar a Alma (Ed. Sempiterno, 2016). É uma contadora de histórias que adora poetizar o mundo. Escreve por amor e rebeldia: desconstruindo verdades, brincando com as palavras e ressignificando a vida. www.clarabaccarin.com