Relações tóxicas: 5 tipos de pessoas que você não vai querer ter ao seu lado

Arte por Lissy Elle
Arte por Lissy Elle

Detesto classificar as pessoas em categorias e odeio posts que começam com “Tipos de pessoas que blablablá”. Acho isso injusto já que os seres humanos são complexos, cheios de nuances, conflitos internos, contradições e experiências diversas. Não dá pra generalizar.

PORÉM

Também não dá pra negar que existem padrões de comportamento e grupos de pessoas que repetem involuntariamente esses padrões. Mas se o título desse texto fosse algo como “5 padrões de comportamento adotados por pessoas que você não vai querer ter ao seu lado” – provavelmente você nem estaria aqui. Sim, as vezes a gente se vende!

A questão é que me relacionei algumas vezes com pessoas que seguiam alguns comportamentos que na minha humilde opinião não eram muito positivos e não foram relações bem sucedidas – falo de amores, amizades e até relações profissionais.

A convivência com elas me deixava pra baixo, sem energia e eu não entendia muito bem o porquê – muitas vezes achava que o problema era comigo. Mas depois de um tempo, comecei a identificar o que são as relações tóxicas. E não custa nada vir aqui e te dizer como e do que elas são feitas.

Pessoas que só falam de si.
Eu tinha uma amiga que me ligava todos os dias e a gente ficava horas no telefone. O problema é que os assuntos eram só sobre a vida dela. Sobre a faculdade, o trabalho, os relacionamentos dela. Até sobre o primo de segundo grau dela que estava com algum problema social e fazendo terapia (linha da psicanálise, se não me engano) eu tinha que escutar. E se eu tentasse dar a minha opinião sobre a tal psicanálise, ou mudar o assunto pra qualquer outro, eu ouviria algo tipo “Parkinson, miga? Puts, melhoras. Mas viu, hoje na aula um cara muito gato veio falar comigo, será que ele vai me chamar pra sair?”. Pensando agora, acho que nossa amizade durou tempo até demais.

Pessoas que ficam lembrando dos seus podres. Eu tive uma outra amiga que sempre dava um jeito de incluir na roda alguma vergonha que eu tinha passado. No começo era engraçado: “Ju, lembra aquele dia que você caiu no banheiro do shopping fazendo montinho em duas idosas? HA-HA-HA”. Todo mundo ri, HA-HA-HA. Aí quando eu passei na faculdade ela: “Parabéns, nem parece que você era a pior aluna da escola! HA-HA-HA.” Se eu ganhasse um prêmio Nobel, ela ia fazer questão de lembrar de algum dia que eu vomitei tequila em cima de algum desconhecido na festa da irmã dela – não que isso tenha acontecido. A questão é que ela não era grossa, eraengraçada. Só que a gente cansa desse humor todo. Me afastei e se você quer um spoiler: não sinto falta nenhuma, HA-HA-HA.

Pessoas que querem te colocar pra baixo. Esse tipo de pessoa parece a descrita acima, mas ela é um pouco mais sutil. Ela não fica fazendo piadas, mas alguns comentários sucintos em doses homeopáticas, que vão te colocando pra baixo aos poucos, até que um belo dia você acorda odiando o mundo inteiro, checa seu calendário menstrual, vê que não é a TPM – você não sabe o que é. Ela chega com uma voz mansa, falando algo como “Amiga, promete que não vai ficar triste?” – ESSA FRASE já te deixa triste. Depois ela faz algum comentáriozinho meio maldoso mas sem a intenção de te ofender. De novo, não soa como grosseria, então você releva. Mas é desnecessário e não convivo mais com pessoas assim desde 2005.

Pessoas que julgam o tempo inteiro. Todo mundo julga um pouquinho e até me incluo nessa roda. Mas tem gente que só sabe falar mal de gente. Tive colegas que ficavam julgando os outros, julgando a si mesmos e quando eu não estava olhando – ou muitas vezes até na minha frente e de forma descarada – eles julgavam minhas escolhas, minhas atitudes, meu estilo de vida, achando que pela “intimidade” podiam invadir o meu espaço e dizer o que viesse na telha sem nenhum respeito. Parou, né?

E por fim, mas não menos importante:

Pessoas que têm mania de perseguição. Tem essas pessoas né? As que acham que o mundo tá todo errado – só elas que estão no caminho certo. Elas costumam achar que todos querem “roubar” o emprego delas, o namorado delas, o brilho do cabelo delas – porque claro, tudo o que diz respeito a elas é perfeito. Se você discorda de alguma atitude que ela teve, você só pode estar com inveja – DUUUH!. Geralmente esse comportamento vem atrelado a pessoas egoístas, superficiais e que subestimam os outros. E acredito que no fundo elas sabem que a vida delas não é tão incrível assim, elas só querem que os outros pensem que é.

E vou parar por aqui hoje pro post não ficar tão longoooooooo. Se eu lembrar – ou vocês também – de mais alguns perfis de pessoas pra evitar a amizade, a gente faz um PARTE II!

Esse texto é do site “Vamos pra Vênus“, nosso novo parceiro de conteúdo! Isso quer dizer que trocamos textos e vocês podem ler um pouco de De Repente dá Certo lá e um pouco de Vamos pra Vênus aqui! <3 

Vamos pra Vênus

Juh Batah é a criadora do do blog Vamos pra Vênus, designer, ilustradora e webwriter.