Ser apaixonado é diferente de ser trouxa


Era uma sexta-feira a noite. Não estávamos em Game of Thrones, mas o inverno  chegou. Havia muita frieza em todas as atitudes.

Era realmente necessário aguentar isso?

Eu estava no bar com o meu melhor amigo. Tremíamos com o frio que os nossos casacos falhavam miservalmente em bloquear. Para se distrair das rajadas de vento, meu amigo resolveu pagar uma cartomante – por brincadeira, não por crendice – para que lesse a minha mão. Ela chegou toda exótica, se apresentando como Baiana; pegou minha mão, falou coisas aleatórias e fechou seu discurso com a clássica frase: “você precisa dar valor a quem te valoriza”

Na segunda feira de manhã o frio permaneceu, tanto na cidade quanto naquela mensagem que te enviei. Visualizada, não respondida. Cínica com a vida comentei com os meus amigos “se apaixonar é coisa de gente trouxa”.

Ou será que não é?

Quando cheguei em casa pensei sobre isso. Me descobri errada nessa constatação de senso comum, que é tão injusta com os apaixonados.

Se apaixonar não tem nada a ver com ser trouxa. Tem a ver com estar disposto.

Não existe nada mais corajoso do que se apaixonar por alguém, tendo a bravura de ser vulnerável. Permitir-se conhecer outra pessoa a fundo, deixar que ela também te conheça. Arriscar um pedaço do coração – e saber disso -, mas ainda assim correr o risco de sofrer sabendo que o faz para se sentir vivo. Se apaixonar é necessário.

O trouxa não é aquele que se apaixona pelo outro, mas quem não consegue apaixonar-se por si. Não é aquele trata os outros bem e com respeito, mas quem aceita que os outros lhe tratem da maneira como lhes convém. Trouxa não é quem tem coragem de sentir algo por alguém, mas quem é tão covarde a ponto de aceitar tudo, apenas para não perder uma atenção meia-boca. Não é quem dá atenção, e sim quem aceita qualquer migalha pra sentir-se melhor consigo mesmo. Ser trouxa é opção.

O apaixonado busca felicidade, enquanto o trouxa busca a aceitação. O apaixonado é o bom, enquanto o trouxa é o bonzinho.

Você pode se apaixonar por alguém, e mesmo assim não aceitar absolutamente tudo que a outra pessoa faz. Só existe um amor que vai te acompanhar pela vida toda, e ele deve vir acima até da pessoa por quem se apaixona. O amor mais importante que você terá na sua vida inteira é o amor próprio.

Enquanto você não aprender a diferenciar falta de amor próprio com o “estar apaixonado”,  você será eterna e realmente trouxa.

Gente apaixonada não acha tranquilo esperar 3 dias por uma resposta de mensagem. Gente apaixonada não senta e espera aquela pessoa que se diz “perdida na vida” se resolver. Gente apaixonada não aceita ser segunda opção.

O apaixonado sente tudo intenso demais para aceitar ser enrolado, ser chamado pra sair às 23h30 de uma sexta-feira. O apaixonado é romântico, é capaz de mover montanhas por quem ama. Ele sabe que não existe clima ruim, aniversário de vó, peixe que morreu afogado que o impeça de estar com quem ele gosta. E se ele sabe de tudo isso, ele também sabe que não adianta fazer isso por quem só lhe arranja desculpa esfarrapada.

Vi novamente aquela mensagem, visualizada e não respondida, chegando à seguinte conclusão: “não é preciso uma Baiana, um texto de autoajuda ou um filme falando sobre como alguém não é a fim de você. Mais importante que dar valor a quem lhe valoriza é dar valor a si mesmo. É saber o que se aceita ou não…”

Apago seu número e todas as nossas conversas. O inverno realmente chegou.
E eu?
Decidi viver o calor da sinceridade, e não a frieza de uma pessoa indecisa.

Giovanna Ghersel

Giovanna Ghersel tem 23 anos, é estudante de direito e comunicação. Viciada em séries, viagens e desventuras amorosas. Considera ler e escrever terapêutico além de claro: desabafos em mesas de bar, cantar evidências no karaokê ou fazer uma maratona de netflix e pipoca. Atualmente está tentando escrever um livro e descobrir o que fazer da vida. Enquanto isso vai recolhendo experiências e usando-as de inspiração para os textos, afinal não existe nada mais extraordinário do que a vida.

  • Laura

    Uaaaal. Ótima reflexão. Ótimo texto. ♡

  • Hadman Fernanda

    Maravilhoso texto. Parabéns …
    Não sou fã de leituras rsrs mas essa me pegou!

  • Se eu precisava ler algo sobre a minha vida nesse momento, só faltou assinar o meu nome como personagem! Ótimo texto.

    Abraço

  • Ana Amélia

    Adorei o texto. E retrata bem o que penso também. Parabéns pela iniciativa de criar este espaço e expor seus pensamentos. Admiro e apoio atitudes assim… além de compartilhar da mesma linha de pensamento.

  • Vitor

    Ótimo texto Giovanna, é bem isso mesmo..Parabéns!!
    Infelizmente ainda há algo em mim que me torna covarde e impede de me amar, pois, apesar de demonstrar todas as características do apaixonado, só consigo ser feliz fazendo o outro ser feliz..Preciso aprender como me amar e ser feliz sem depender de ninguém.

  • Será que eu consigo mesmo depois de já ter idade avançada?