Morar sozinha é curtir a própria companhia

 

By Pascal Campion
By Pascal Campion

Em tempos de solidão, transformo meu tempo em espaço e caminho pela casa de calcinha sem me importar com o que os vizinhos vão achar.

Morar sozinha é transformar vinho em amigo, é fazer da internet minha janela pro mundo e poder fechá-la quando bem entender pra abrir outra janela e olhar pro céu. É imaginar planetas distantes e amores incompletos. Imaginar ser qualquer coisa e dormir enrolada no cobertor quentinho com a certeza de tudo é possível.

Morar sozinha é ler um livro inteiro de tarde sem ser interrompida, fazer quantas maratonas de série quiser. É poder descer e comprar um pote de sorvete, é poder fazer sua comida saudável e guardar em potinhos pro resto da semana.

É poder dançar no quarto sem medo de alguém entrar, é poder se perder na própria bagunça e ter o prazer de arrumar tudo depois. É poder deixar tudo impecável, nos mínimos detalhes. É poder fazer jantares, festas e pequenas reuniões de amigos. É poder chegar sozinha e acompanhada com a mesma emoção.

É poder fazer a decoração que quiser, passar a tarde de sábado pintando um pallet que você pegou na feira e vendo utilidade naquele spray dourado que ficou guardado no armário.

É perceber que plantas são a melhor forma de decorar a casa, mas depois entender o sentido que elas fazem por todos os dias crescerem um pouquinho.

Morar sozinha é pagar 300 reais pelo conserto de alguma coisa idiota e depois pensar que deveria aprender a fazer isso sozinha.

Morar sozinha pode ser bom e ruim, como tudo na vida. Dependendo do dia, bate aquela sensação de querer chegar em casa e desandar a falar com outra pessoa.. Falar sobre qualquer coisa,porque é bom saber que tem alguém te ouvindo.

Mas em compensação, em outros dias você só quer chegar em casa e não falar nada. Só quer deitar com o pé pra cima do sofá e ouvir seus próprios pensamentos.

Morar sozinha é poder ficar envolvida com alguma atividade até de madrugada e ficar tão empolgada com que está fazendo que esquece quanto tempo já passou. Ao mesmo tempo é fazer um esforcinho pra levantar cedo e fazer um super café da manhã pra si mesma, porque sim.

Morar sozinha é conseguir ouvir o corpo, é saber acalmar a mente com a própria mente, é saber cuidar de si mesma. É se mimar de vez em quando, se trazer flores, deixar a luz entrar e mudar a vibe da casa com música.

É sentir-se livre por ser quem é, é saber que você nunca estará sozinha enquanto tiver a própria companhia.

Saudades de mim

Quero ficar com a minha companhia. Fazer o desodorante de microfone e cantar Celine Dion pela casa fazendo um clipe imaginário onde eu deslizo na parede e sofro e rio de mim e ao mesmo tempo me acho sexy e cafona. Quero abrir um vinho e achar graça da minha embriaguez. Dançar como se não houvesse amanhã. Fazer pizza de frigideira que é fácil e não faz sujeira. Abrir o livro no meio do capítulo e de repente ser teletransportada pra outra galáxia. Cantar alto sem me preocupar com os vizinhos ou com alguém julgando se eu canto bem ou não. Quero aproveitar a luz dourada e perpendicular que só acontece no outono. Quero me enrolar no cobertor, assistir sex and the city e sentir um prazer enorme só por ser mulher. Por ter tantos altos e baixos, por ter tanto prazer em devorar uma barra de diamante negro, por me permitir, por me regrar, por sentir tudo tão profundamente, por querer ter um estilo diferente todos os dias, por adorar me arrumar, me olhar no espelho e fazer aquela cara típica que todo mundo tem ao se olhar no espelho, por tentar separar carreira e amor e acabar juntando tudo sempre na mesma parte do coração.

Amanhã é sexta-feira e não tem nada mais incrível do que passar a quinta com você mesmo. Fazendo planos pro fim de semana e pro resto da vida, mesmo que esses planos mudem todos em menos de um dia. Ah, viver é uma das coisas mais preciosas da vida. Eu que me esqueço disso todos os dias. Pode ser que seja saudades de mim.