AbeLLha: impacto social com economia colaborativa

De empreendedorismo de palco, ideias inovadoras e livros que ditam o segredo do sucesso nós já estamos cheios. Apesar de a Era Digital ser incrível por conectar pessoas num estalar de cliques, ela também constrói muitas celebridades vazias e nós acabamos consumindo esse tipo de informação.

A parte boa é que existe muita gente criando projetos que realmente fazem a diferença. E o melhor é algumas dessas pessoas estão aqui no Brasil. Pessoas que querem mudar o rumo da história pra melhor, abrindo o caminho para a economia colaborativa, que eu já tanto falei aqui.

Você já ouviu falar da AbeLLha? E do aplicativo GoodPeople? Então hoje eu vou apresentar pra vocês essas duas empresas, que no final acabam se transformando no Ecossistema Abellha. Calma que eu vou chegar lá!

Read Article

Wikinomia, o novo modelo econômico que vai atropelar nosso ego

Eu já falei algumas vezes sobre como eu amo o século 21 e como eu amo a internet. Já falei aqui que estamos todos perdoados por nos sentirmos tão perdidos, porque uma mudança social desse tamanho deixa a gente meio lelé da cuca mesmo. Eu gosto muito de comparar o momento atual com a terceira revolução industrial do século 18, porque quando o modo de produção mudou, tudo mudou. Inclusive o comportamento e pensamento das pessoas. Surgiram novas profissões, novos caminhos, novas possibilidades. Não vou entrar questão sobre esse episódio ter bom ou ruim. Ele aconteceu e temos que encarar as coisas que aconteceram sem ficar imaginando o que poderia ter acontecido. Comparando a transformação que ocorreu com o momento atual, sinto em informar que a nossa geração está no meio do redemoinho da era da informação. A gente está exatamente na fase onde as coisas começam a mudar. E sim, isso tem a ver com a internet. A internet abriu um mundo de possibilidades na nossa frente e vocês já viram que em 15 anos o mundo mudou drasticamente. Eu, por exemplo, trabalho com marketing digital e sou escritora de um blog. Na época dos meus pais essas profissões nem existiam. Imagina só. Que diabos eu ia fazer da minha vida? Talvez minhas palavras nem tivessem chance de chegar a vocês. Imaginem quantos escritores maravilhosos morreram sem ninguém saber que eles existiram?

Read Article