CONSELHO PARA TODAS AS MINHAS AMIGAS SOLTEIRAS: VIVAM.

7d1c271c71637a5c2e1c49762d0f0263

Toda mulher solteira já teve medo de ser solteira. Essa frase é muito esquisita, mas acredito que seja uma verdade para muitas mulheres. Eu mesma confesso que já passei por isso, mas hoje já enxergo a grande besteira que é sentir medo de ser solteira.

Se tentarmos entender a origem disso tudo, começaremos a filosofar sobre os inúmeros padrões que a sociedade estabelece e como isso afeta principalmente as mulheres, que desde pequenas se veem na obrigação de seguir o famoso “felizes para sempre” da Disney.

Bom, mas esse texto não é para indagar os padrões e nem tentar entender por que a sociedade é tão sacana com a mulher em alguns aspectos. Esse texto é para realmente tentar libertar essas mulheres solteiras que se sentem tão pressionadas.

Meu grande e precioso conselho para as minhas amigas solteiras é apenas um: vivam. Existem tantas coisas maravilhosas para se fazer quando se é solteira. Por favor, joguem essa carência pro lado, sacudam a poeira da necessidade constante de ter alguém com quem conversar no Whatsapp, e venham viver a vida com tudo o que ela tem de bom para oferecer.

Nem de longe esse é um texto para incentivar o desapego. Até porque seria um pouco esquisito alguém como eu desacreditar no amor. Não. Eu acredito muito na importância do amor pelo outro. Mas eu também acredito MUITO no amor próprio. É ele que nos move o tempo todo, que nos faz descobrir coisas novas, superar obstáculos, e enxergar o mundo de várias formas diferentes ao mesmo tempo.

Estar com alguém é realmente muito bom, não nego. Porém, estar sozinha também é extraordinário. E confesso que morro de aflição de ver esse monte de mulheres que simplesmente não conseguem passar um fim de semana sozinhas, que não ficam um dia sem trocar mensagens completamente banais com algum cara, que não têm nenhum medo na vida que vá além do pavor de ficar para a titia.

Garotas, acordem! Primeiro de tudo: o amor chega para os distraídos. Já repararam como as maiores paixões de nossas vidas batem na nossa porta quando não estamos esperando por elas? Pois é… Segundo: há milhares de coisas incríveis para fazer quando se é solteira. E calma lá que eu nem estou me referindo a sair pegando todos os caras que existem. Estou querendo dizer exatamente o contrário.

Estar solteira é poder fazer absolutamente o que quiser no fim de semana. Pegar o carro e descer pra praia sem dar satisfações, sair com as amigas para dançar e voltar de madrugada, ou simplesmente ficar em casa enfiada embaixo das cobertas vendo seu filme preferido pela milésima vez. É claro que também podemos fazer tudo isso quando estamos namorando, mas o gostinho sempre muda dependendo do nosso estado civil.

Porém, eu ainda acho que estar solteira é mais do que isso. Para mim, a maior vantagem de estar solteira é a autodescoberta que isso promove. É claro que ao nos relacionarmos com alguém também fazemos uma grande viagem dentro de nós mesmos, mas é quando estamos apenas em nossa própria companhia que desvendamos nossos maiores medos, inseguranças, e também descobrimos muitos dos nossos sonhos.

E não poderia ser diferente… Afinal, é na solidão que temos nossos momentos de maiores reflexões. Então, é claro que meu conselho não poderia ser diferente. Mulheres solteiras de todos os cantos, parem de se lamentar por não terem ninguém com quem dividir a xícara de café. Apenas vivam. Até porque se vocês querem tanto um “felizes para sempre” com alguém, é mais do que primordial terem um momento sozinhas antes disso. Só assim terão certeza de que estão plenas com si mesmas e prontas para dividirem uma vida quando encontrarem a pessoa certa.

Texto publicado originalmente no blog Para Preencher, nosso parceiro de conteúdo. Isso quer dizer que você vai encontrar textos do De Repente dá Certo por lá e textos do Para Preencher por aqui :)

Se for pra namorar, que seja pra mergulhar um no outro

Diante da vastidão do universo e da relatividade do tempo, do big bang, da física e da química, da extinção dos dinossauros e da probabilidade da vida humana acontecer, eu aceito por completo que foi uma sorte imensa ter te encontrado. Ou, como dizem os novos entendidos sobre acaso, nós temos toda a responsabilidade quântica de termos nos encontrado. De uma maneira ou de outra, pra mim não importa. Tanta coisa podia ter dado errado pelo caminho e mesmo assim aconteceu.  A gente se encontrou, se apaixonou e pela primeira vez na vida eu entendi o que dizem nos filmes de amor.

E eu vejo tanta gente por aí querendo namorar só pra não ficar sozinho, só pra ter companhia. Mas se for só pra ter companhia, eu prefiro a minha. Se for pra namorar, que seja pra mergulhar um no outro. Se for pra namorar, eu só quero que seja que nem a gente.

Que seja pra sentir o coração acelerando quando eu ouço o barulho na chave entrando na fechadura quando você chega. Que seja pra ter vontade de te agarrar quando você passa no corredor. Que seja pra ter vontade de te levar pra qualquer lugar que eu vá, mesmo sabendo que eu preciso dos meus momentos solitários de vez em quanto. Que seja pra ter vontade de viver um no outro, entrar um no outro e virar um ser com duas mentes e um corpo. Que seja pra sentir suas conquistas e derrotas como se fossem minhas. Que seja pra acordar todo dia e sorrir só por você estar lá. Que seja pra ter essa ajuda mútua e motivação pra tudo novo que eu inventar de fazer.

Que seja pra fazer miojo quando a gente chega bêbado de madrugada. Que seja pra gente ter nossa liberdade, que é o que nos prende. Que seja pra gente sair à noite pra lugares diferentes e chegar em casa morrendo de saudade. Que seja para as nóias e os monstrinhos da minha cabeça hibernarem quando eu te ligar e ouvir que tá tudo bem. Que não seja um relacionamento com certezas ou dúvidas, mas com descobertas. Que seja exagerado mesmo. Que não precise existir a expectativa do futuro, porque a gente se basta agora e isso é o suficiente. Que a gente jure amor eterno, sabendo que ele não existe, mas achando que nós somos seres especiais e vamos viver o amor eterno, sim.

Que seja essa conexão de pensamentos e ideias. Que seja pra viver a telepatia humana. Que todas as camadas de uma conversa sejam entendidas e o outro saiba exatamente do que se trata. Que eu respire e você saiba que tem algo diferente no meu humor. Que seja pra experimentar outros níveis de consciência juntos. Que seja pra inspirar o outro e não para podar ideias. Que seja pra enlouquecer junto. Pra se divertir junto. Pra chorar junto. Pra levantar junto. Mudar junto. Que seja pra fazer tudo junto, mesmo em pensamento. Que seja pra estar sempre junto, mesmo separados, mesmo vivendo as rotinas individualmente, mesmo correndo atrás dos nossos sonhos por nós mesmos. Que seja pra eu querer ser o melhor de mim pra aflorar o melhor que tem em você.

Que nossas vidas continuem sendo vidas individuais, mas compartilhadas. Que você continue tendo seus segredos e eu os meus. Que tenha sempre alguma coisinha pra te surpreender.  Que cada um seja responsável pelas próprias escolhas, mas sabendo que vai sempre existir o impulso do outro pra toda escada que surgir e uma mola no fundo do penhasco quando o outro cair. Que seja pra diminuir o medo de arriscar. Que seja pra se jogar. Que seja pra ser feliz.

Pra você que está entrando na minha vida agora

Para você que está entrando na minha vida agora… Hey, chegue mais!

Me deixa abrir a porta do meu coração pra você. Sinta-se em casa e não repare na bagunça!

O inquilino antigo não cuidou direito e aí as coisas ficaram meio desarrumadas por aqui, umas pilhas de roupa suja pra lavar ali no canto do quarto, mas tudo tranquilo, sem ressentimentos. A casa está em processo de reforma, mas ao que me parece tudo caminha pra uma considerável melhora.

Sim, tem umas rachaduras na parede. Me disseram que certas rupturas nunca se consertam por completo, mas dá um ar diferenciado para o local não? As paredes aqui viram muitas coisas, são cheias de experiências, porém estão ansiosas por novas. A estrutura até mudou, mas a essência continua a mesma. Ah não te disse?

Casa de solteiro é assim mesmo, muita loucura, uma reforma atrás da outra, mas nunca se cansa, de mudar, de tentar, de desistir e tentar de novo. É que a vontade de ser feliz supera as decepções. Para ser sincero às vezes até minto pra mim mesmo. Digo que dessa vez vou fechar as portas e não receber ninguém, afinal o processo de trocar pinturas, pisos, procurar uma nova decoração dói.

Às vezes é preciso derrubar paredes. Então, em vez de derrubar paredes, vou e construo mais, para tentar me proteger. Pelo menos fica com mais lugar para pintar. Sou simpático demais, gosto de receber gente aqui… de casa cheia sabe? O vazio é bom por um tempo, mas ter o coração repleto é essencial. Claro que tenho visitantes recorrentes: amigos, família, sonhos, mas ultimamente anseio por alguém que queira habitar aqui com ânimo definitivo.

E ai, está a fim de quebrar umas paredes?

Minha irmã vai casar

Minha irmã decidiu casar. Minha irmã, quatro anos mais nova que eu, decidiu casar. Ela já namora há milênios e eventualmente isso iria acontecer, mas eu não imaginava que seria tão cedo. Ter minha irmã em casa é ter uma parte de mim ali, no quarto ao lado, querendo me mostrar um vídeo engraçado no youtube, me contando uma fofoca ou rindo de quando eu imito meus pais. Mas ela vai sair de casa, ter a casa dela, a família dela e mais: em outro país.

É razoável eu ter saudades antecipadas e já começar a pensar em tudo o que vai faltar na minha vida daqui pra frente, mas o que me surpreende diariamente é a reação das outras pessoas quando eu falo sobre isso. Elas não pensam em como eu vou sentir falta da minha irmã ou em detalhes do casamento. O primeiro e principal comentário é “sua irmã passou sua frente, hein.” É sério. As pessoas realmente pensam isso e se assustam quando eu não entendo a brincadeira.

Veja bem, minha irmã sempre seguiu mais a cartilha da vida, coisa que, aparentemente, eu nem li. Aos 18 anos eu decidi que queria morar fora, arrumei um emprego e caí no mundo. Aos 18 anos minha irmã estava no pré-vestibular para ingressar no curso de odontologia, no qual ela se formou no tempo esperado e hoje trabalha com isso de segunda a sábado. Curso superior? Comecei três. Mudei de ideia várias vezes, me formei em um, trabalhei em dois empregos diferentes e joguei tudo pro alto pra estudar medicina. Minha irmã namora a mesma pessoa desde que o outono é sempre igual e as folhas caem no quintal. Eu namorei, desnamorei, namorei um tempão, terminei, vivi solteiríssima por um tempão e conheci meu atual namorado há seis meses e estou naquela fase incrível que a gente quer que dure para sempre.

Acho que já dá pra entender que a vida da minha irmã seguiu um rumo totalmente diferente da minha. As pessoas realmente esperam que, como irmã mais velha, eu tenha a vida mais estruturada antes dela, mas quem disse que minha vida é desestruturada? Quem disse que a gente precisa seguir os dez passos do sucesso para ser feliz? Quem disse que você precisar acertar de primeira? Quem disse que você precisa casar, ser bela, recatada e do lar? Quem disse que você não pode ser feliz de outro jeito?

Dizem que a gente nasce, cresce e morre. Eu acredito que a gente nasce, cresce, tem expectativas, absorve expectativas dos outros, tenta corresponder a todas essas expectativas e morre tentando fazer isso. Por anos eu achava que a minha vida deveria seguir a cartilha oficial e se isso não acontecesse, seria o fim do mundo. Tentei criar metas, planos muito objetivos e seguir por eles. Só que não deu. A vida não é uma planilha do Excel, felizmente. Muita coisa mudou meu rumo, conheci muito mais gente que eu imaginava, refiz minhas metas de ano novo umas mil vezes ao longo do mesmo ano, viajei mais que o esperado, tenho histórias de uma vida pra contar, aprendi a tocar violoncelo, dei aula em curso de inglês, recebi mais de duzentos intercambistas por semestre e consegui casas de família para todos eles morarem, voei de Alaska Airlines, lutei jiu jitsu, ouvi sobre a vida de muita gente interessante, descobri  que contos de fadas não existem, me apaixonei por um amigo de um amigo,  ausculto pulmão muito bem, trabalhei na Disney, morei no Queens, entre tantas outras coisas que eu não teria feito se seguisse as regras que só existem na nossa cabeça.

Não vou entrar no clichê de dizer que todas as coisas acontecem por uma razão, mas todas as coisas acontecem por uma razão. A gente pode não entender na hora, mas há lucro em tudo o que a gente faz. Conheci meus melhores amigos em um estágio que não tem relação nenhuma com o que eu faço hoje, por exemplo. Há aprendizado e aquisições em tudo o que a gente faz, mesmo seja a certeza de que nunca mais faremos alguma coisa novamente. Já experimentamos e podemos dizer com certeza que algo não cabe na nossa vida. Obviamente eu não estou falando em ganhos financeiros, isso tem muito pouco e um minuto de silêncio por esse fato, mas tem tanta coisa mais valiosa que dinheiro. E te digo mais: isso é uma descoberta que você só faz quando não vive a cartilha, ou pior, quando vive a cartilha e se arrepende profundamente ao perceber que não pode voltar atrás e fazer tudo o que você gostaria de ter feito.

Não tenho ideia de quando vou casar ou se eu vou casar. Estou muito feliz pela minha irmã que vai casar. Estou muito feliz com a vida que eu levo. Estou muito feliz com todas as reviravoltas da minha vida. Estou muito feliz por ter conhecido todos os meus amigos. Estou muito feliz por entender hoje que a vida pode ser leve e eu não preciso planejar cada passo. Estou muito feliz por demorar a entender a frase “sua irmã passou a sua frente”. Estou muito feliz por saber que as pessoas vivem vidas diferentes e que isso é encantador. Estou muito feliz por nada nessa vida ser de fato uma competição. Estou feliz. Simplesmente feliz.

Temos 20 e poucos anos

Acordamos mais cedo do que queríamos. Nos abastecemos com café. Líquido sagrado dos deuses. Tão necessário que existe até café de R$15,00. O café gourmet é muito caro para o orçamento universitário. Quando finalmente conseguimos comprar um, tiramos fotos para colocar no nosso Instagram e fingir que somos hipsters. Não sabemos se ser hipster ainda está na moda.

Temos 20 e poucos anos.

Entramos na faculdade. Vamos para todos os happy hours. Competição de beer pong. O drink está caro. Vamos comprar catuaba. Bumbum granada. Tá tranquilo. Tá favorável. A idade chega. Começamos a ter ressacas homéricas. Trocamos o happy hour da faculdade, a festinha que dá pra entrar de graça até a meia-noite por um vinho com os amigos em casa ou um jantarzinho tranquilo. Temos que fazer programas mais adultos, afinal. Não aguentamos mais o jantarzinho. Balada no dia seguinte. Ressaca homérica. Nunca mais vamos beber na vida. Semana seguinte tem jantarzinho. Tem a balada pós jantarzinho também.

Temos 20 e poucos anos.

Passamos a faculdade toda na pressa. É correria no dia a dia. Faculdade. Estágio. Academia. Queremos nos parecer com a Gabriela Pugliesi. Vamos ao nutricionista. Fazemos dieta por um mês. Esse mês a gente bebe menos. Ficamos de saco cheio da dieta. A gente não vive pra estudar e além disso ser gostoso de qualquer forma. Vamos ao barzinho depois, afinal malhamos tanto que merecemos uma cervejinha. Ficamos com vergonha porque saímos da dieta. Nunca mais voltamos ao nutricionista.

Temos 20 e poucos anos.

Chega a semana de provas na faculdade. Insônia. Nervosismo. Refluxo. Gastrite. Toma café. Mais gastrite. Omeprazol. Pega prova do semestre passado. Meu Deus essa prova não faz sentido nenhum. Passamos a madrugada estudando o que deveríamos ter estudado o semestre todo. Hora de fazer uma amizade sincera com a menina que anota tudo da aula. Posso pegar seu caderno emprestado? Obrigada. Qual a resposta da questão 1? Não queremos colar na prova. Olhamos para prova. Não entendemos nada. Chuta D de Deus que dá certo.

Temos 20 e poucos anos.
Terminamos a faculdade. Graças a Deus. Colação de grau. Bora no barzinho comemorar com os amigos. Um jantar com a família. Estamos comemorando. Estamos formados. Desempregados também. Mandamos currículo para mil empresas. Precisa ter experiência para poder trabalhar, mas como criar experiência se ninguém está contratando? Nossos pais começam a ficar agoniados. “Na sua idade eu já trabalhava e tinha dois filhos”. Prosseguimos desempregados. Começamos o cursinho para passar em um concurso público.

Temos 20 e poucos anos.

Sonhamos com o amor das nossas vidas. Essa aí eu tenho certeza de que é a pessoa certa. Passou um mês. Enjoamos. Na verdade não queremos nada sério. Tem muita gente por aí. Saímos com uma galera. Pegamos geral. Carência. Enjoamos. Encontramos uma pessoa legal na balada. Essa aí eu tenho certeza de que é a pessoa certa. Passou um mês. A pessoa não é exatamente como eu pensava que o amor da minha vida ia ser sabe. É legal. Mas não tem aquela química. Tem aquela química. Mas é meio babaca. Ah vamos continuar solteiros mesmo. Vamos dar um like numa foto de 2005 do novo alvo. Será que vai entender a indireta? O like é retribuído. Coração dispara. Essa aí eu tenho certeza de que é a pessoa certa.

Temos 20 e poucos anos.

Estamos assustados. Largados no mundo. Não somos adultos. Não somos crianças. Podemos fazer algumas cagadas. Outras já estão fora de questão. As fazemos da mesma forma. O mundo é gigante. É minúsculo. É aterrorizante. O mundo é lindo. As pessoas são estranhas. As pessoas são incríveis. São os piores anos das nossas vidas. São os melhores anos da nossas vidas.

Temos 20 e poucos anos.

Entre o medo e a vontade existe um mundo

Aquela tensão quase elétrica. Mãos distanciadas apenas por alguns centímetros, que parecem ter o tamanho de um abismo.

Pra que essa timidez toda?

Você está sempre ai com essa cara de que está perdido, me procurando no meio de todas as pessoas que estão a sua volta. Entre tantas pessoas iguais, você fica buscando alguém diferente. E eu?Tento aparecer no meio da multidão esperando você me notar.

Os rostos passam por mim e quando não é o seu o dia perde um pouco da graça, as cores ficam menos saturadas e o coração desacelera..

Read Article

Pra sempre quatro

Toda vez que eu olho essa foto eu penso no quão sortuda eu sou por ter conhecido as mulheres que eu mais admiro no mundo aos 7 anos de idade. E olhando para essa foto eu me orgulho muito, porque a gente se transformou naquilo que queríamos ser. Mesmo não tendo atingido todos os objetivos ainda, nós somos, integralmente, as pessoas que batalhamos para ser. E conseguimos isso juntas. Passamos por todas as fases da vida do lado uma da outra, conhecemos o final e o início de cada uma.

A gente viveu a história uma do outra. Minha infância foi na casa de vocês e a nossas famílias eram quatro. O problema de uma era das outras também. As nossas mães eram mães de todas. Todas nos educaram juntas.  E não tem como desmentir que nossas personalidades foram construídas e moldadas juntas. E o que eu acho mais louco é que somos quatro pessoas complemente diferentes. Sempre fomos. Mesmo vivendo grudadas, cada uma sempre teve sua opinião, sua visão de mundo, seu jeitinho independente.  E cada uma respeitava esse espaço da outra. Nossa amizade sempre teve a troca como base.

Eu lembro da gente com uns 14 anos andando pelas ruas do Rio e as pessoas paravam e falavam que era incrível ver um grupo de amigas com estilos diferentes. E a gente amava e se orgulhava disso. A gente é um conjunto de ideias e quem nos conhece sabe o quanto de cada uma tem na outra. Pode ser o jeito de falar, de gesticular, de reclamar. Eu carrego vocês o dia inteiro comigo nas coisas que eu faço, nas coisas que eu penso e falo. Quando me perguntam sobre vocês, eu falo como se estivesse falando de mim.

Se me dessem um milhão de reais, hoje, para investir em alguém, eu investiria em vocês, porque sei que tudo que vocês colocam a mão na massa vira diamante. E como é incrível saber, do fundo do coração, que eu sou a melhor amiga das pessoas mais íntegras e fodas, inteligentes e sagazes que eu já conheci.

A gente morria de medo de se separar e agora cada uma está em um canto do mundo, correndo atrás do que acredita. As pessoas nos acham corajosas por cada uma ter saído da sua cidade, por tentar criar do zero, por tentar mudar o mundo. Mas elas não sabem que a gente só tem essa coragem toda porque temos uma a outra. A gente se deve essa, a gente se prometeu isso. Mesmo percorrendo caminhos tão diferentes e independentes, mesmo que nossa amizade seja só um dos aspectos da vida, é ela que dá sentido para todo o resto.

20 coisas que aprendemos antes dos 25

A adolescência passou e a fase adulta chegou. Alguns dizem que esses são os melhores anos das nossas vidas. Outros, acreditam que essa é uma fase cheia de dúvidas e de preparação para os vinte e tantos. Se você está na fase dos vinte e poucos, com certeza já notou que as suas vontades mudaram desde a adolescência (e muito). Listei algumas coisas que aprendemos antes dos 25.

Você aprende que:

1. Não precisa ir para a balada sem vontade. Você não precisa sair de casa só para agradar um amigo ou ser legal com a galera. Não existe problema nenhum em querer ficar de pernas para o ar assistindo um filme.

2. Trabalhar, estudar e fazer uma atividade física cansa. Você começa a dar muito mais valor para a sua cama e as poucas horas de sono.

3. O amor acaba e recomeça. Acaba e recomeça e acaba e recomeça. Você vai cair setenta vezes e levantar setenta e uma.

4. O sofrimento é só um intervalo entre duas alegrias. A maturidade anestesia um pouco a tristeza. É mais fácil entender que existiu uma vida antes da dor. E a vida não para e espera você se reerguer. Move on!

5. A dar mais valor para as aulas de inglês que seus pais pagaram quando você era criança. Ela faz toda a diferença no seu currículo profissional.

6. A dar mais valor para a faculdade que eles ainda pagam, o almoço servido todos os dias, o edredom limpo, o papel higiénico do banheiro, entre muitas outras coisas. O amor e o carinho que eles têm por você ficam muito mais claros.

7. Seus pais também são seres humanos com sentimentos. Uma ligação ou um abraço fazem toda a diferença.

8. Se você quer morar sozinho ou dividir um apartamento com os amigos, vai ter que trabalhar duro.

9. O melhor alívio do mundo não é terminar o colégio. É terminar a faculdade.

10. Quase todos os seus sonhos podem se tornar realidade. Provavelmente, aquele seu sonho de conhecer a Austrália ou de fazer um mochilão para o Peru, já se tornou. Concretizar nossos sonhos é a melhor forma de não desistir de realizar tantos outros.

11. Dar presente é melhor do que ganhar.

12. Vale muito mais a pena juntar dinheiro para ir naquele show da sua banda preferida, do que gastar em baladas aleatórias que só te deixam com uma ressaca monstra no dia seguinte.

13. Viagens e livros normalmente são melhores quando são mais baratos. Mochilão é muito mais legal que resort cinco estrelas. E livro de sebo é muito mais legal que livro de uma megastore.

14. Diálogo é tudo nessa vida. Em qualquer tipo de relacionamento.

15. Não ter medo de pedir desculpas.

16. Quase tudo é melhor com alguém do nosso lado. Se não for, é porque não estamos com a pessoa certa. Próxima!

17. Os seus amigos são pessoas muito parecidas com você.

18. A mentira dói. Mas a sinceridade em excesso dói o mesmo tanto.

19. Não vale a pena se comprometer com uma pessoa, se você ainda quer outras.

20. A vida está só começando. E ela é linda. Boa sorte! 

Esse texto é do site Sem Clichê, nosso novo parceiro de conteúdo! Isso quer dizer que trocamos textos e vocês podem ler um pouco de De Repente dá Certo lá e um pouco de Sem Clichê aqui! <3 

O que chamam errar, eu chamo de experimentar a vida

Arte por Witchoria
Arte por Witchoria

O que chamam errar, eu chamo de experimentar a vida. O que chamam de decisões ruins, eu chamo de capítulos interessantes de uma história. O que avaliam como quedas, eu sinto como incansáveis tentativas de voos. O que punem como irresponsabilidades, equívocos, imaturidades, eu me absolvo com a impunidade do verbo amar.
Defendo o descontrole natural do caminho.

Read Article

Carta pra minha melhor amiga de vinte e poucos anos

Fui pro trabalho ouvindo, pelo whatsapp, você contando sobre os últimos acontecimentos da sua vida (caraca, em duas semanas dá pra acontecer muita coisa!). Não sei se vida aqui no Brasil anda meio em círculos ou se você tá numa daquelas épocas da vida que tudo acontece ao mesmo tempo, mas fiquei até perdida com tanta informação

Vamos por partes… Sobre a briga com seus pais, quase chorei junto com você, haha. É uma merda essa situação, mas acho importante que existam essas conversas “de lavagem de roupa suja” para a gente perceber que nossos pais são tão humanos quanto a gente. Eles têm as mesmas dúvidas e questões que a gente tem, mesmo sendo mais velhos e mais experientes. E sim, isso é bem assustador.  A gente passa a vida achando que nossos pais são de ferro, mas muitas vezes eles estão mais perdidos que a gente. E pensa bem, deve ser um desespero ver você formada, morando um tempo fora, mas sem saber exatamente o que você quer fazer da vida, sem um emprego estável.

No fundo eu acho uma bobagem isso de ter que escolher o que fazer da vida, já que a vida são várias coisas, pessoas e camadas. Mas isso é só preocupação, porque eles são de outra geração e não entendem que, hoje em dia, ter faculdade não garante emprego estável nenhum. Nem pós, nem mestrado, nem doutorado. Na teoria, eles dizem que essas formações aumentam o piso salarial, mas experimenta sair da faculdade e emendar na vida acadêmica sem passar pelo mercado pra ver se vai ser fácil. Pra maioria não vai. Pra gente, a única saída é correr muito atrás, botar a mão na massa, se mostrar, meter a cara, buscar e se conectar com as pessoas que tenham o objetivo parecido com o nosso.

E é muito, muito difícil a gente entender isso. A gente não vai mudar a cabeça dos nossos pais, nem que a gente explique, mostre mil vídeos motivacionais do Ted e se vire do avesso. As coisas estão muito certas pra eles e as coisas aqui fora são totalmente incertas. Eles querem que a gente tenha objetivos palpáveis, mas nada é garantido. Meu sonho era que meu pai falasse que se orgulha de mim pelas coisas que eu escrevo, pela forma que eu penso, mas pra ele o que eu faço é só uma bobagem passageira. E eu posso ganhar o prêmio Nobel de literatura, mas ele não vai dar o braço a torcer e vai falar que eu teria sido mais feliz se fizesse concurso público.

A gente virou adulto também e, às vezes, eles só querem ser cuidados. Eu vi isso quando comecei a ajudar minha mãe em varias coisas, tipo administrar o dinheiro do aluguel pra não deixar ela sem grana, ou quando ela me liga perguntando como ela pode se aproximar mais do meu irmão mais novo ou quando me pede conselhos da vida. É muito duro cuidar de quem nos educou. É difícil ver que o nosso herói, de repente, virou de carne e osso, mas são eles que vão estar sempre lá pra você. Mesmo que vocês fiquem um milhão de anos sem se falar e mesmo se afastando, quando você estiver no perrengue, são eles que vão estar lá (e eu também!).

E sobre essa história de você estar se questionando sobre quem você é? Confesso que eu também to perdida nesse lugar. Acho que a internet fez com que a gente se aproximasse do resto do mundo, mas também parece que a gente tá sempre perdendo alguma coisa. Só que isso não é culpa da internet, isso é culpa nossa que não se contenta com nada. Eu sempre respeitei esse seu jeito de lidar com as pessoas, principalmente por você fazer sempre o que queria. Quando a gente faz o que quer, até o arrependimento fica mais brando. Você sempre foi muito você e é assim até hoje. É autenticidade pura e é por isso que você é a pessoa que eu mais admiro no mundo. Falta autenticidade em todo mundo que eu conheço. Eles querem sempre ter a vida do outro, a viagem do outro, os seguidores do instagram do outro. E você nunca se importou com nada disso porque tava aproveitando o tempo curtindo e descobrindo quem era você. E, relaxa, é normal se sentir egoísta às vezes. Eu também me sinto assim. Mas acho que esse egoísmo não nos torna pessoas ruins. 

Agora, tem um ponto aí que eu vou ter que te falar: Fica-de-boa-com-seu coração, mulher! Seu ex teve uma super influencia na sua vida, mas a gente tem que parar de achar que tem que amar reciprocamente todo mundo que nos oferece amor. Isso não é o suficiente. E vocês tiveram uma historia linda que acabou e você mesma quis que acabasse, não tinha mais como insistir nisso. E eu entendo muito sua paixão platônica pelo cara que hora te ama, hora te ignora. Você sabe, eu sempre tive essas paixonites com caras que eram super a ver comigo e eu achava eles o máximo, mas isso passa, então não precisa achar que é o fim do mundo só porque ele não ta apaixonado por você ou porque não respondeu sua última mensagem. Curte esse sentimento. A gente tem mais é que se apaixonar por todo mundo mesmo, se envolver, sofrer, quebrar a cara, se apaixonar de novo um milhão de vezes e assim vai. Eu não sei te dizer se o amor verdadeiro realmente uma hora chega pra todo mundo. E se for pra te dar um conselho, não espere por ele, mas esteja preparada quando ele chegar. Porque ele chega arrebentando com as nossas certezas. 

Eu to achando incrível que você ta ficando com vários caras legais aí na viagem e eu achei muito maravilhosa essa história do deus do sexo, hahaha. Sabia que tava faltando um homem desses na sua vida sexual, porque não é possível alguém gostar mais de queijo do que de sexo! Meu deus, fiquei muito empolgada!!! VOLTA PRA CIDADE DELE!!! Até fiquei com saudade da minha vida de solteira, apesar de amar mais minha vida de casaduxa que também tem o melhor sexo do mundo.

Mas é isso, a maioria dos homens não sabe pegar mulher mesmo não, então, escolhe bem. Eles não entendem que só precisam observar os nossos detalhes e reações e que cada uma gosta de uma coisa diferente, mas que toda mulher adora uma putaria, hahaha.  Você que tá solteira, por favor, aproveita muito todos esses homens maravilhosos que existem no mundo!!! HAHAHA eu sou muito brega, eu sei, mas é verdade. Procura os interessantes que peguem bem que vai dar tudo certo! É isso, te amo. Vamos marcar a porra de um skype. Flw.