Wikilivro #PARTE 1

Arte por Beth Hoeckel
Arte por Beth Hoeckel

Desde que Lela recebeu a notícia ontem, não conseguiu dormir, nem comer, nem falar, nem escrever. Pegava qualquer coisa pra ler, mas as palavras chegavam só até a retina e não eram decifradas pelo cérebro. Pra não dizer que não comeu nada, pegou um yogurte de gosto duvidoso na geladeira e foi para o trabalho, sem precisar pensar no caminho que já conhecia. Sabia que a partir daquilo, tudo ia mudar. Chegou no centro da cidade com ansiedade para ver como as pessoas reagiriam ou se pelo menos sabiam de alguma coisa. Na TV não falaram nada. Nas redes sociais ninguém teve coragem de tocar no assunto. Olhou pra cima e sentiu o tempo fechando. As nuvens se juntaram bem rápido em cima dos prédios. Dava pra ver pela fresta, que fica quando você olha pra cima e vê um corredor destorcido de azul entre o topo dos prédios, mas agora a cor era cinza carregado. A manhã ficou com cara de entardecer. Escuro, escuro. Os postes se acenderam. Ventava muito e os papéis, as folhas secas de árvores e o lixo jogado pelos cidadãos sem esperança se misturavam numa dança circular que intimidava os transeuntes.

Lela entrou rápido no prédio, prendeu um cabelo num meio rabo de cavalo e entrou no elevador aliviada por subir até o 15º andar sozinha. Cumprimentou o recepcionista, que lixava as unhas distraído, e foi direto na copa pegar um café. Sentou na sua mesa e sentiu que um clima estranho pairava no ar. Será que todo mundo já sabia da notícia? Amanda chegou de luvas de inverno, o que atraiu os olhares de todas as baias do escritório, mas ninguém falou nada. Em dias normais a zoação teria chegado aos grupos de Whatasapp, mas hoje não. Lá fora estava escuro quase como se estivesse de noite, mas não chovia, como se a chuva estivesse esperando um sinal para descer. E se nunca mais parasse de chover quando começasse?

Lela foi olhar pela janela e tomou um susto quando viu uma projeção no prédio da frente que explicava sobre a nova descoberta das ondas gravitacionais. A imagem de dois buracos negros se unindo naquele mar de brilhantes fez com que os olhos se enchessem de lágrimas. Amanda chegou do seu lado e falou ” é incrível isso, né?”. E era. Mas essa descoberta tinha acarretado um monte de movimentações que muita gente não fazia ideia. Lela roía as unhas de nervoso, talvez por saber mais do que deveria, mesmo sabendo que a notícia tinha se espalhado de forma silenciosa. Mesmo assim, resolveu encarar a situação de frente. Não dava pra continuar fingindo que nada aconteceu

– Amanda, o que houve com suas mãos?

Quer contribuir com ideias para a continuação dessa história? Leia os termos abaixo e mande um e-mail com suas ideias para contato@derepentedacerto.com.

 

*Regrinhas para participar do Wikilivro (afinal, o combinado não sai caro)*
Para participar do Wikilivro você deve aceitar esses “termos e condições”.

  • A ideia do Wikilivro é fazer uma criação conjunta de uma história de ficção. Qualquer pessoa pode enviar suas ideias para a continuação do conto para o e-mail contato@derepentedacerto.com. Eu sei que para seguir ao pé da letra o conceito Wiki, eu deveria só inventar uma plataforma com o começo de uma história e qualquer pessoa pudesse entrar e mudar tudo ou ir encaixando a próxima parte, mas se isso acontecer, a história pode não acabar nunca!
  • Por isso, nesse caso, eu ficarei encarregada de “montar” a história. Para eu fazer isso, vocês têm que confiar em mim. Posso descartar algumas ideias que eu receber e acatar outras, vou “guiar” pra onde a história vai e vou ter o poder de decidir quando ela acaba. Se houver mais de uma ideia que mude totalmente o curso da história, tipo um final surpreendente que mude tudo, vamos ter que abrir para votação entre os colaboradores para decidirmos juntos, tipo um super brainstorm online.
  • Todo mundo pode participar quantas vezes quiser e mandar ideias novas quantas vezes quiser, mas cada um deve escrever no máximo até 1 página inteira de continuação referente à última postagem. Por exemplo, teve a minha primeira postagem com começo da história, a partir daí vocês vão poder enviar uma página de continuação baseada na última publicação no blog.
  • Nem sempre vou usar aquilo que você escreveu exatamente como você escreveu, por isso, não tenha apego com as sentenças que você criar. Eu posso pegar a sua ideia central e editar, recortar ou juntar uma ideia com a outra. Tomei essa decisão para que a narrativa não vire uma bagunça. Precisa ter um fio condutor para que a história não vire algo sem noção que ninguém vai ter saco de ler. Não importa de quem é a ideia, mas sim qual vai ser o resultado. Uma vez que você mandou uma ideia para este wikilivro ela deixa de ser sua e passa a ser da história, que não tem dono, afinal ela é uma história colaborativa e é pra gente se divertir e divertir os leitores, claro.
  • A cada nova postagem com a continuação do livro vou dar os créditos de quem contribuiu com as ideias. O nome de todo mundo que participar vai sempre aparecer no post.
  • Esse livro, a princípio, não tem fins lucrativos, mas caso gere algum lucro, todos os colaboradores serão beneficiados de alguma forma.

Escrevi uma página com o começo de uma história misteriosa e aberta para várias possibilidades de adaptação e continuação. Não especifiquei nada sobre a Personagem Lela, porque vamos criar ela juntos. Não disse com que ela trabalha, nem quem é ela ou o que ela gosta. Todo o curso da história pode ser alterado por vocês, leitores/autores. A única coisa que sabemos até agora é que aconteceu alguma coisa estranha que vai mudar tudo na sociedade e isso está indiretamente relacionado à descoberta das ondas gravitacionais, fato que realmente aconteceu no dia 11 de fevereiro de 2016. O resto é com vocês.

Marcela Picanço

Criadora e editora do De Repente dá Certo! Este blog é um mapa de onde minha imaginação foi. Agora, o caminho é de vocês. Sejam bem-vindos! Pra saber mais é só clicar ali em cima no: "Quem escreve essas coisas?"

Deixe uma resposta